Lamas Brew Club

o Clube para cervejeiros caseiros Veja mais »

Lamas Brew Tool

O APP do Cervejeiro Caseiro Veja mais »

Fichários Lamas

Suas receitas, bem guardadas Veja mais »

maltes The Swaen

A alma que sua cerveja precisava Veja mais »

Lúpulo Na Veia

Primeiro Kit Single Hop do Brasil, experimente.... Veja mais »

 

Category Archives: Receitas

Faunator – A Doppelbock da Lamas e da Goose Island

O mês de julho acompanha baixas temperaturas no Brasil, o que pede por algumas mudanças em nossos itinerários boêmios.

Entre elas, a degustação de estilos e rótulos de cerveja artesanal que harmonizem com as baixas temperaturas e, claro, com outras opções gastronômicas.

Como é o caso da nossa Faunator Doppelbock, nascida de uma parceria entre a Lamas Pro-Brewing e a Brewhouse Goose Island para aquecer as noites frias do inverno da capital paulista.

Veja a seguir um pouco dessa parceria e também como trabalhar as suas percepções sensoriais ao degustar essa cerveja artesanal — feita com 100% de maltes inglês da Muntos.

Cerveja Colaborativa

A norte-americana Brewhouse Goose Island abriu recentemente uma filial no Largo da Batata, zona Oeste de São Paulo, com a promessa de fazer suas torneiras trabalharem incansavelmente para tirar 15 mil litros de chope por mês.

Com isso, surge a necessidade em diversificar e qualificar os seus produtos. E nada combina tão bem com o inverno do que uma cerveja artesanal forte, robusta e alcóolica. O que inspirou essa forte parceria com a Lamas Pro Brewing, que vinha procurando uma boa desculpa para fazer cerveja com os maltes da famosa maltaria Muntons.

A novidade chega ao Goose Island a partir do dia 12 de julho e em breve  nas lojas de Campinas e de São Paula da Lamas. Oportunidade perfeita, portanto, para você conhecer uma de nossas lojas e trocar algumas ideias com o nosso pessoal e degustar a Faunator Doppelbock.

Mas, para que você não chegue de mãos vazias, vamos inteirar você a respeito desse tipo estilo de cerveja!

 

O que é a Faunator Doppelbock

Trata-se de uma Lager robusta, podendo compará-la como um estilo mais forte do que a tradicional Bock, por exemplo.

Sua origem, inclusive, vem carregada pelos tradicionalismos dos monges de São Francisco de Paula, mas com um aperfeiçoamento e especialização creditados à região da Bavária.

Hoje, a Faunator Doppelbock é bastante diferenciada de seus primeiros rótulos, que eram mais caracterizados por mais dulçor e menor teor alcoólico.

Dá para reparar que a nossa cerveja artesanal não escapa à alcunha popularizada em Munique (o termo Doppel, que significa duplo) e tampouco à terminação “-ator” — outra peculiaridade do estilo, como já percebemos em outros rótulos, como:

  • Paulaner Salvator;
  • Ayinger Celebrator;
  • Andechser Doppelbock Dunkel;
  • Spaten Optimator;
  • Bell’s Consecrator.

Entre outros rótulos que você já deve ter experimentado em suas degustações.

As características da Faunator Doppelbock

Para compreender melhor a experiência em degustar a nossa colaborativa Faunator Doppelbock, vamos analisar a fundo as características que predominam nesse estilo, como:

Aroma

Possui acentuado aroma, com destaque ao toque de caramelo que pode se sobressair devido à fervura prolongada.

Vale observar que versões robustas da Doppelbock contam com baixíssima — ou nula — presença de lúpulo.

As versões mais escuras da Doppelbock podem apresentar, ainda, aromas frutados, com destaque à ameixa (seca ou não) ou uvas.

Aparência

Tradicionalmente, esse estilo de cerveja ganha um tom dourado, puxando levemente para o marrom escuro. O rubi também pode ser percebido nas versões mais escuras da cerveja.

Sabor

Tal qual o aroma, a Doppelbock é rica e bastante maltada. Você poderá sentir os seguintes sabores:

  • Sabor de chocolate sutil, em versões escuras da cerveja;
  • Sabor limpo, característico de uma Lager;
  • Leve sabor frutado nas cervejas mais escuras;
  • Presença de álcool, mas sem a companhia dos aspectos áspero ou quente;
  • Ausência ou baixo teor de lúpulo;
  • Amargor moderado ou moderadamente baixo.

Sensação de boca

Caracterizada por um corpo de médio-alto a alto, ao passo que a carbonatação da bebida vai de moderada a moderadamente baixa, despontando pela sua maciez.

Com isso, falta apenas saber como você pode desfrutar da nossa Faunator Doppelbock à mesa, para compartilhar com amigos e dividir petiscos ou pratos para aquecer ainda mais este inverno!

Como fazer a harmonização

As estações outono/inverno pede por uma criatividade maior no repertório gastronômico. E, caso você queira criar uma experiência completa, desfrutando das principais características de sua Faunator Doppelbock, algumas sugestões caem muito bem nas noites mais frias do ano, como:

  • Batatas gratinadas;
  • Carne suína assada;
  • Cassoulet
  • Cogumelos (como champignon, shiitake e shimeji — preto ou branco);
  • Feijoada;
  • Javali;
  • Pato assado;
  • Presunto cru;

E aí, que tal a ampla variedade de receitas que vocês podem aproveitar para acompanhar a sua Faunator Doppelbock?

Não deixe de conversar conosco para conferir algumas outras curiosidades de nossa cerveja colaborativa com a Brewhouse Goose Island, e as melhores ocasiões para deustá-la!

 

Kits de Receita da Lamas – É fácil de Fazer

Nós da Lamas temos uma missão: fazer com que a melhor cerveja seja a sua cerveja. E desde os primórdios do mamute cervejeiro pensamos em todas as soluções, produtos e dicas para ajuda-los nessa tão nobre missão.

E enquanto atendíamos nossos clientes em nossas lojas ou respondíamos os e-mails de dúvidas, percebemos a dificuldade de alguns cervejeiros em elaborar sua própria cerveja ou de se aventurar em receitas desconhecidas encontradas na internet.

Foi aí que tivemos uma ideia que não sabíamos muito bem se ia dar certo mas resolvemos arriscar: levamos as panelas ao fogo e começamos a testar um monte de estilo de cerveja e desenvolver um passo a passo simples mas completo, para ajudar os cervejeiros iniciantes e os que tinham dúvidas nos processos.

Hoje temos mais de 30 estilos de receitas diferentes de 20 L e de 5 L testadas e aprovadas pelo Lamas (algo único no mercado brasileiro) e, modéstia à parte, se tem uma coisa que fazemos bem é fazer cerveja (e beber também!). Mas as ideias não pararam só nos estilos e dentro das receitas de cervejas surgiram receitas bem diferentes.

A primeira e bem criativa foi a Paneblonde, uma cerveja feita com frutas cristalizadas, cascas de laranja e uva passa para lembrar o famoso Panetone de Natal, edição limitada para o final do ano. Além da edição de Natal, temos receita de Páscoa, Dia das Mulheres e Festa Junina, todas edições limitadas que só são vendidas nas épocas certas.

Temos também nossas Receitas Assinadas , das cozinhas dos mestres-cervejeiros diretamente para a sua panelinha, com dicas e explicações dos próprios mestres, não dá para perder!

Estamos sempre no nosso laboratório de experiências inventando receitas novas: 100% Orgânicas , Receitas de Extrato , Ideal para o Verão ou gostosa para aquecer no Inverno. Uma das mais famosas sem dúvidas são as receitas para os fanáticos por lúpulos, da Linha Lúpulo na Veia: além de uma pancada de lúpulo, o cervejeiro ainda pode comparar um kit do outro pois a base da receita é a mesma, o que muda é o tipo de lúpulo que vai em cada um.

Conte para nós qual é seu kit de receitas preferidas e se tiver alguma sugestão de receita, fala para a gente que vamos correr e testar em nossas panelas.

 

Receitas das Cervejas da Brew Dog – Equivalência de Fermentos

Todo cervejeiro caseiro tem suas cervejarias preferidas, aquela cervejaria que te inspira e lhe dá água na boca só de imaginar um copo gelado e saboroso do seu estilo preferido. Tem aquelas cervejarias que além de fazer nossas cervejas preferidas ainda nos inspira pelos ideais, identidade, atitudes. E é inevitável não pensar na Brew Dog, cervejaria escocesa e muito irreverente, que produzem cervejas repletas de personalidade.

Afinal, quem nunca tomou uma Punk IPA e pensou: “Eu preciso fazer uma IPA igual!”, e saiu feito um doido atrás da receita pelos fóruns e blogs da internet. Mas como alcançar esse aroma de lúpulo perfeito? Esse amargor balanceado com essa cor incrível? Qual é o segredo deles para fazer a melhor cerveja do mundo?

“American” Kölsch, uma cervejinha single malt.

Quem nunca quis fazer uma cerveja bem simples mas ultra saborosa? Esta receita é bem simples de execução e de ingredientes e o resultado é bem bacana. Agora, como gostamos de sacanear amigo alheio transformamos a Kölsch, que é uma cerveja genuinamente alemã, em uma American Kölsch, porque demos uma pitada de um lúpulo cítrico no final.

Mas afinal o que é uma Kölsch? Volta e meia nós fazemos uma Kölsch para testar alguma coisa, é uma receita simples e boa para testar um equipamento ou um processo novo. É uma cerveja ale (de alta fermentação), típica de Colônia na Alemanha. Segundo o BJCP:

“Uma cerveja limpa, com final bem definido e delicadamente equilibrada, normalmente com aromas de frutas bem sutis (devido a fermentação). Maltosidade em segundo plano e um sabor refrescante e agradável no fim.”

Há uns anos atrás fizemos nossa primeira Kölsch e neste post descrevemos um pouco de sua História.

Como podem ver é uma cerveja multifunção:

Extrato de Malte – Uma Pale Ale surpreendente

O uso de extratos de maltes de malte no Brasil ainda não é comum e com a variedade de maltes (grãos) que temos aqui estamos de mão cheias para fazer excelentes cervejas e não precisar de extratos.

Porém os extratos de maltes são a porta de entrada mais comum para quem quer começar a fazer cerveja caseira, mas isso lá nos Estados Unidos. Chega a ser tão comum isso lá que cervejeiros caseiros que fazem cervejas com malte em grão, em certos clubes, são colocados em um patamar superior. Soa estranho isso para nós, dada a fartura de malte que temos aqui. Mas é assim.

E a importância do extrato de malte esta exatamente na popularização do hobby que ele casou lá na terra do Tio Sam. Nos Estados Unidos é tão comum os extratos que é possível achar eles em todos os  lugares, de supermercados a conveniências de posto de gasolina. Ele teve e tem um papel muito legal na iniciação no hobby, como o primeiro passo. Além de serem produtos relativamente baratos, pois a quantidade de industrias locais que fabricam estes maltes é alta, ajudando na diversidade e no preço.

E engana-se quem acha que cervejas com extratos são fracas, sem corpo e sem graça. Existem diversas cervejas campeãs (em concursos de homebrewer ) no EUA que , para espanto, eram feitas de extrato. E aqui entra a qualidade do extrato e se ele é puro malte.

A história aqui no Brasil ainda esta longe do cenário descrito acima….mas somos novos ainda nesse meio e as coisas tendem a melhorar. Até hoje não tinhamos nenhuma industria nacional fabricando extrato de maltes para fins cervejeiros ou melhor falando, extratos de malte puro. A produção nacional de extrato de malte é destinada basicamente a industria alimentícia (por exemplo em panificação, cereais, biscoitos, sorvetes, chocolates, achocolatados) e as boas opções que temos de extratos são importados, ou seja, já chegam com o “custo-Brasil” embutidos tornando os extratos bem caros.

Liquor Store na Pensilvânia com grande variedade de Kits e extratos de maltes

Liquor Store na Pensilvânia com grande variedade de Kits e extratos de maltes

Há uns bons meses os Lamas veem ajudando a desenvolver um extrato nacional 100% puro malte com uma empresa líder no setor de tecnologia de alimentos e secagem de alimentos, a Liotécnica (mais detalhes em www.liotecnica.com.br). Este novo extrato de malte é feito exclusivamente com malte pilsen e é proveniente de um mosto brassado a um temperatura de 64ºC. O processo de obteção de extrato, na teoria, é bem simples: é feita uma brassagem convencional, depois o mosto é concentrado através de aquecimento até virar um xarope. Este xarope, é o extrato de malte xaroposo. Este xarope passa por um processo de desidratação a vácuo, dai se obtém o extrato seco de malte. Este xarope passa por um processo de liofilização, dai se obtém o extrato seco de malte. O processo é tão rigoroso e controlado  que os dois produtos, a xarope e o pó, nos teste de fabricação resultaram em cervejas com mesmas características. Optamos, então,  nesse momento em levar o para nosso projeto apenas o extrato em pó, que apesar de ser mais caro tem uma validade bem mais longa que o extrato xaroposo.

Abaixo, segue um receita de uma American Pale Ale que fizemos com o extrato de malte em pó, nos teste preliminares: